Apois cumpade, fui aussisti a novela só vi foi tiro prá tudo qui é banda, vei umas poliça dano tiro prendero todo mundo, acabou eu num sabeno quem matou e quem morreu. eu pensava qui era o aquele véi Lima Doarte, mas a muié me ispricô qui era ota novela, misturou meu pensamento todo, cumpade, só vi foi o pipoco de bala, acabou num sabeno quem matou e quem morreu.
Mais a muié tinha idio pintiá os cabelo e quonde chegou a miseá tava feita, ela priguntô, eu num sube dizê nada, ia iscrever pro coronel Paulo, miatrapaiei todo, homi, adispois vêi o Chapelinho na reportage foi aquela confusão fui mi deitar na minha rede deixei prá lá o tal de num sei acuma era o nome qui tinha murrido, um tal de Nereus, coisa assim. Sim, t inha um curuminzim apariceno na novela, chorava qui nem um cabritim, rapaz, aquela moça dos óio triste pegô o bixim e foi prum canto, a bala comeno perto duns carro, aquela moça loira chorava prum canto, ôto isticou a canela na frente do povo, foi choro de muié prá tudo qui é banda. Num intendi nada. Era um tal de Nereus qui tinha qui morrer, acunforme dixeru ao coroné Paulo, ela foi no doutô se arreceitá, butaro medo no homi qui foi siarmá, saiu de casa cum o celular da impregada prá sabê das nuvidade, a televisão dela sequebrô, o radim de pia tomém, eu só seio é qui a desgraça tá feita. Homi isto num é coisa qui se faça, parece qui uma bomba matou de araque bem uns cem, os americando vai ispussar um monte de gente lá do Bacabalde, parece inté aquelas coisa do véi coroné João Martim da Jaçanã, meu tio bisavô, valame nossa Siora. Se subé dalguma coisa me avise. assinado tatais seu criado. Sim, urucubaca deve sê coisa do fii do Zejoca

Apois cumpade, fui aussisti a novela só vi foi tiro prá tudo qui é banda, vei umas poliça dano tiro prendero todo mundo, acabou eu num sabeno quem matou e quem morreu. eu pensava qui era o aquele véi Lima Doarte, mas a muié me ispricô qui era ota novela, misturou meu pensamento todo, cumpade, só vi foi o pipoco de bala, acabou num sabeno quem matou e quem morreu.
Mais a muié tinha idio pintiá os cabelo e quonde chegou a miseá tava feita, ela priguntô, eu num sube dizê nada, ia iscrever pro coronel Paulo, miatrapaiei todo, homi, adispois vêi o Chapelinho na reportage foi aquela confusão fui mi deitar na minha rede deixei prá lá o tal de num sei acuma era o nome qui tinha murrido, um tal de Nereus, coisa assim. Sim, t inha um curuminzim apariceno na novela, chorava qui nem um cabritim, rapaz, aquela moça dos óio triste pegô o bixim e foi prum canto, a bala comeno perto duns carro, aquela moça loira chorava prum canto, ôto isticou a canela na frente do povo, foi choro de muié prá tudo qui é banda. Num intendi nada. Era um tal de Nereus qui tinha qui morrer, acunforme dixeru ao coroné Paulo, ela foi no doutô se arreceitá, butaro medo no homi qui foi siarmá, saiu de casa cum o celular da impregada prá sabê das nuvidade, a televisão dela sequebrô, o radim de pia tomém, eu só seio é qui a desgraça tá feita. Homi isto num é coisa qui se faça, parece qui uma bomba matou de araque bem uns cem, os americando vai ispussar um monte de gente lá do Bacabalde, parece inté aquelas coisa do véi coroné João Martim da Jaçanã, meu tio bisavô, valame nossa Siora. Se subé dalguma coisa me avise. assinado tatais seu criado. Sim, urucubaca deve sê coisa do fii do Zejoca