cabecario

Entrar

Atualizado 1:33 PM, 10/13/2019

Comenda Monsenhor Moraes 2019

17a. Festa do Reencontro da AFAI 

Série: Biografias dos Homenageados 

Comenda Monsenhor Moraes - Antônio Humberto Aragão e Silva (Bertim).

Por: José Solon Sales e Silva. 

Inteligente, ético, íntegro. Hipocorístico de Humberto tinha o nome composto, Antônio Humberto. 

A mãe muito católica, devota dos franciscanos, Francisco e Antônio, nomeou os filhos com nomes compostos. O mais velho Francisco José que se tornou um padre devotado. O caçula, Antônio Humberto, nome de um de seus irmãos, que ajudou a educar desde tenra idade, após a morte da mãe. Anísia era a filha mais velha do casal José Raimundo Aragão e Maria Cândida de Carvalho Aragão.

Bertim, era filho de Antônio Cícero e Silva e Anísia Aragão e Silva, nascido em 09 de janeiro de 1940. A alfabetização fez com a própria mãe, que era professora. Nos anos 50 segue para Fortaleza onde vai continuar nos estudos no Colégio Cearense. 

Terminado o ensino fundamental incorpora-se ao Centro de Preparação de Oficiais da Reserva - CPOR - do Exercito Brasileiro, em Fortaleza de onde sai como primeiro tenente seguindo, nos anos 60, para servir em São Luiz do Maranhão. Irrompia a revolução de 1964 ano em que é aprovado em concurso para os quadros do Banco do Brasil. A prova foi realizada em 06 de fevereiro de 1964 e em julho deu baixa do Exército, passando para a reserva para assumir o cargo de auxiliar no Banco do Brasil na cidade de Brejo Santo, sul do Ceará. Ali iniciou carreira como bancário. 

Em 1969 transfere-se para Ipu. Neste mesmo ano casa-se, na Capela de Nossa Senhora das Graças, do Patronato Sousa Carvalho com a ipuense Joana Dolores Sales e Silva, que depois de casada passa a assinar Joana Dolores Sales Aragão.

O casamento aconteceu em 20 de dezembro de 1969 e dia 21 já estava em Crateús para prestar concurso interno para efeito de promoção. 

Depois de casado continua morando em Ipu onde começa a ascender profissionalmente. Do Casamento nasceram quatro filhos, Marinisi Sales Aragão Santos, casada com Anderson da Silva Santos; Milton Sales Aragão, casado com Luciana Cavalcante Peres Aragão; Antônio Sidclay Sales Aragão, casado com Daniela Braga Godinho e Janisi Sales Aragão, casada com Guido Alves do Nascimento. 

Todos os filhos nasceram em Ipu e cresceram na rua ao lado da Matriz de São Sebastião, vizinho a casa paroquial. Em Ipu, participou da seleção de futebol de salão chegando a ser campeão cearense ao lado do Marcos Baú e Ferreirinha, sendo um dos bons atletas do time ipuense da década de setenta. 

Na vida social foi sempre alegre e gostava muito de festas e encontros com amigos e familiares acompanhados sempre de uma cervejinha. Trabalhador voraz, de uma responsabilidade impar e espírito de companheirismo acentuado. Dono de um senso de dever que o levou a cumprir e conseguir os projetos que delineava tanto do ponto de vista profissional como do ponto de vista pessoal. Excessivamente pragmático era dotado de qualidades intuitivas e de bom senso de partilha com todos. 

Profissionalmente, depois de servir por muitos anos em Ipu é transferido para o posto de subgerente da agência do Banco do Brasil de Tianguá, onde trabalhou e morou por mais de uma década. De Tianguá foi transferido para Pacatuba onde desempenhou a mesma função por vários anos. Finalmente é transferido para a agência da Rua Barão do Rio Branco, em Fortaleza onde atuou até aposentar-se no cargo de gerente. 

Após aposentar-se passa a desenvolver projetos sociais notadamente em Paracuru, onde há casa de veraneio. Seu trabalho, de tão profícuo levou a ser homenageado pela Câmara Municipal de Paracuru ele e Joaninha com o título de cidadãos paracuruense. 

Foi um dos fundadores da AFAI – Associação dos Filhos e Amigos do Ipu e da AILCA – Academia Ipuense de Letras, Ciência e Artes. 

Na AFAI, durante duas gestões desenvolveu de forma voluntária, com muita determinação e comprometimento o cargo de Diretor Financeiro, contribuindo em muito para o crescimento da entidade.

Torcedor ferrenho do Ceará Sporting Club não perdia um jogo sequer do seu time de coração. Mesmo já debilitado com o avanço do mal de Parkinson que o levou a óbito, comparecia aos estádios levado pelos filhos Milton e Sid. 

Lutador voraz não se entregou e não se permitiu amofinar pela doença, lutou bravamente até o fim. Nunca deixou de sair para festas e barzinhos, ao se dizer vamos “a tal canto” ele prontamente interferia e dizia “eu também vou”. 

Um ipuense fervoroso e um exemplo de pessoa íntegra e alegre, apesar do jeito fechado e formal. Um cidadão perseverante, rigoroso e que buscou sempre a perfeição. Lealdade e fidelidade de coração era carinhoso por trás de seu forte jeito de durão. 

Terminou sua missão nesta terra em 16 de abril de 2018, após 78 anos de vida bem vivida na retidão e, sobretudo na ética. 

José Solon Sales e Silva - cunhado de Antonio Humberto Aragão e Silva (Bertim).

TEMPO

Parcialmente nublado

27°C

Ipu

Parcialmente nublado

Umidade: 66%

Vento 24.14 km/h

  • Tempestades
    03 Janeiro 2019 31°C 21°C
  • Tempestades
    04 Janeiro 2019 30°C 21°C

Cadastre-se para receber Newsletter

Seja nosso filiado

Seja nosso filiadoClique no Botão e Filie-se

A Associação dos Filhos e Amigos do Ipu – AFAI, fundada em 31 de Julho de 2002, é uma das principais vozes em prol do município do Ipu e da comunidade ipuense, visa a preservação do seu patrimônio histórico, cultural e ambiental, bem como a minimização e/ou solução dos seus diversos problemas, especialmente junto aos mais carentes;